cabecalhoRC.jpg

Notícias

JULHO AMARELO - NA LUTA CONTRA AS HEPATITES VIRAIS

 

O dia 28 de julho é o Dia Mundial da Luta Contra as Hepatites Virais e da realização da campanha Julho Amarelo, que alerta para a necessidade de prevenção e combate à doença.

 

As hepatites constituem um sério problema de saúde pública por sua frequência e gravidade. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), estima-se que no mundo existam 400 milhões de pessoas infectadas pelos vírus B e C, os dois tipos de vírus que podem produzir doença crônica que pode ser fatal, muitas das quais nem sabem que estão infectadas. Em nosso país milhares de pessoas infectadas pelo vírus B ou C não sabem que estão infectadas e assim correm o risco de desenvolver a doença crônica e também contaminar outras pessoas.

 

Há vários tipos de hepatites, porém as mais comuns são as tipo A, B e C. A hepatite do tipo A é a mais comum e produz uma doença aguda que nunca passa a etapa crônica.  A infecção se adquire por alimentos contaminados ou de pessoa a pessoa pelas secreções. Habitualmente dura de um a dois meses e a grande maioria das pessoas melhora com cuidados gerais e repouso.  Eventualmente, mais ou menos um em cada 300 a 500 casos, pode apresentar-se uma modalidade grave da doença que pode levar a óbito.  As pessoas que desenvolvem hepatite A ficam com imunidade definitiva e não podem transmitir o vírus a outras pessoas.

 

As hepatites virais tipo B ou C são doenças silenciosas e nem sempre apresentam sintomas, mas quando aparecem pode ser cansaço, mal-estar, febre, tontura, enjoo, pele e olhos amarelados, entre outros. Por isso é importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam a doença. A hepatite B e C podem ser muito graves, evoluir para cirrose ou câncer de fígado e levar a óbito.

 

Para a sua prevenção, além dos cuidados com a higiene, não compartilhar seringas e outros objetos que possam furar e cortar é muito importante usar camisinha em todas as relações sexuais. Os tipos B e C podem ser transmitidos pelas relações sexuais.  Para a hepatite do tipo B existe vacina disponível nas unidades básicas de saúde (UBS).  Porém para a imunização ser efetiva é preciso tomar as três doses. Para saber mais disque 136 ou procure uma UBS.

 

Neste ano, a Reprolatina apoia a Campanha Julho Amarelo, como estratégia de prevenção no combate às hepatites virais; reafirma seu compromisso de contribuir para a melhoria da saúde de homens, mulheres, jovens e adolescentes e também continuar sua luta na prevenção e promoção da saúde sexual e reprodutiva, em especial, prevenção das DST,HIV/Aids.

 

Fonte: http://www.aids.gov.br/hepatites-virais